A GULA E O JEJUM

devocional bíblico sobre fé

O ensino por trás do desequilíbrio da alma

O pecado não se resume apenas em fazer algo errado, mas também em praticar algo bom de forma exagerada. Na Bíblia, as ações erradas em si são consideradas pecado, como a lascívia, a mentira, a maledicência, o furto, o roubo e o adultério, por exemplo.

Fazer parte da maturidade implica em abandonar essas práticas, mas para alcançar a verdadeira maturidade é necessário lidar com coisas que, em si mesmas, são boas, mas que se tornam pecado quando realizadas de forma desordenada.

O Senhor deseja uma vida plena para seus filhos, com equilíbrio e harmonia. Quando alguma área está desequilibrada, automaticamente o relacionamento com o Criador é prejudicado. Até mesmo dedicar um tempo excessivo a coisas que não são pecaminosas em si, como assistir televisão, ir ao cinema ou praticar esportes, pode transformar essas atividades em práticas errôneas e afastar o coração humano do propósito de Deus.

No livro “Fora do Alcance das Crianças”, de Drummond Lacerda, o autor destaca que o próprio maligno tenta o cristão de maneira sutil e perversa:

“Se o diabo não nos impede com o erro, ele nos destruirá com o excesso do que é certo.”

O ENSINO POR TRÁS DO JEJUM

A gula é um exemplo perfeito de como o exagero no que é certo pode se tornar pecado. Por outro lado, o jejum mostra que até mesmo o que é bom pode ser renunciado para alcançar algo melhor. Essa prática leva à consagração.

Deixar-se guiar pelo Espírito Santo para abandonar práticas que não são pecaminosas em si, mas com o propósito de viver tudo o que o Senhor preparou. O coração sábio alcança discernimento para entender o tempo e a maneira de investir em certas áreas, renunciando algo por um período, como no caso do jejum, ou fazendo uma escolha radical de consagração para a vida. Para isso, é necessário maturidade.

Quando se é imaturo, há uma necessidade de impor práticas, como se fossem responsáveis por uma vida santa, sem importar-se com a direção divina. No entanto, aqueles que são maduros são sensíveis à voz do Espírito e são guiados por ela em suas ações.

PRINCÍPIOS E PARADOXOS

A maneira como se entende as Escrituras pode levar o cristão à maturidade ou afastá-lo dela. Olhar para a Palavra de maneira equivocada, tirar trechos de contexto e permitir que doutrinas guiem a interpretação mostram o desequilíbrio e levam à imaturidade.

A Bíblia é um todo e é necessário levar em conta tudo o que a Palavra diz. Esse é um sinal de maturidade. O cristão maduro busca conhecer e aprofundar-se nas Escrituras, tendo segredos de Deus revelados em seu coração por meio da mensagem que Ele deixou.

“Se queremos, portanto, ser maduros em nossa interpretação bíblica, não podemos ler com os óculos de nossas próprias convicções. Precisamos deixar que nossas crenças sejam moldadas pelo que lemos. Tornamo-nos seletivamente cegos quando consagramos uma doutrina em detrimento de outras. Isso nos conduzirá a erros terríveis em nossa vida.” – Drummond Lacerda

Quando tentado pelo diabo, Jesus usou a Palavra de Deus como escudo em Lucas 4. A estratégia do diabo era usar as Escrituras fora de contexto, mas Jesus o venceu graças ao seu conhecimento da Palavra, não permitindo que nenhuma flecha inflamada atingisse seu coração. Esse deve ser o posicionamento do crente em Jesus.

As verdades de Deus devem estar tão bem arraigadas no coração humano que textos distorcidos não encontram lugar na mente de um cristão maduro.

A imaturidade leva o homem a desejar bênçãos de forma desesperada, sem entender as responsabilidades que vêm junto com elas. No entanto, o autor e consumador de nossa fé está disponível para esclarecer todas as dúvidas que possam surgir durante a leitura da Bíblia.

O Senhor mais uma vez anseia por um relacionamento. Ele espera por aqueles que têm o coração inclinado a conhecer a verdade e revelar os propósitos de sua Palavra.

É preciso ouvir, praticar e mudar. A Bíblia diz em Tiago 1.22: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos”. Essa enganação pode cegar uma pessoa para o que é verdadeiro, endurecer o coração e torná-lo como uma terra infértil, onde a semente pode ser plantada, mas não germinará.

Abra seu coração e permita-se ser moldado pela Palavra de Deus.

“Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade.” – 2 Timóteo 2.15

Alcance a maturidade por meio do conhecimento e do equilíbrio. Desfrute do que está fora do alcance das crianças e corresponda ao chamado para a maturidade espiritual.

Motivacional Cristão

Ajudando você a superar desafios

-
00:00
00:00
Update Required Flash plugin
-
00:00
00:00

Detectado Bloqueador de Anúncios

Por favor, apoie-nos desativando sua extensão AdBlocker de seus navegadores para o nosso site.